Arquivo da tag: Nadas

Estas son las mañanitas que cantaba el rey David

Lembro que aos treze eu tinha certeza de que não passaria dos trinta e cinco. E também de ficar chateado ao ouvir que essa quase certeza era um dos mais comuns lugares-comuns vivenciados por nossa espécie, não uma, mas várias … Continuar lendo

Publicado em murmúrios | Marcado com | 14 Comentários

Já te disse antes, mas parece que você esqueceu

Em certos contextos, não costumo responder perguntas, quase sempre porque: 1) a pergunta é confusa, mal formulada, e sem entendê-la eu não consigo responder; ou 2) ela é muito bem formulada, e como perguntas assim costumam ter boa parte da … Continuar lendo

Publicado em murmúrios | Marcado com | 2 Comentários

Em voz alta é bem pior

Foi numa aula de história, eu ainda no segundo grau… Não, foi na faculdade, numa aula de psicologia social… Hum, será que não foi num bar em Brasília, ou naquela taqueria na Colonia Condesa, ou a caminho daquele sesshin em … Continuar lendo

Publicado em nadas | Marcado com | 15 Comentários

Cadê o Rafael Galvão quando a gente mais precisa dele?

Sobre a primeira pesquisa da imagem abaixo e que trouxe alguém a este blog, “é possivel surgir um amor por um vezinho”, sou otimista: acredito que possa acontecer bem mais que uma vezinha só. Já sobre a última, “deseinho do … Continuar lendo

Publicado em humor | Marcado com , , | 9 Comentários

Tenho

Dor nas costas. Grãos de um bom café pedindo pra serem moídos. (Pedindo? Como assim? Sempre achei as conversas sobre objetos que têm razão de ser meio esquisitas, como se eles fossem atingir a suprema felicidade no momento em que … Continuar lendo

Publicado em nadas | Marcado com | 9 Comentários

Três murmúrios com o tempo no meio

Noto que hoje em dia, ou melhor, há pelo menos dois ou três anos, graças em grande parte às (ainda) novas tecnologias da informação prevalece a valorização de um tal de “tempo real”, seja lá o que isso de fato … Continuar lendo

Publicado em (re)flexões | Marcado com , | 5 Comentários

Cesta básica

Comece afogando o seu super-ego na cerveja, aproveitando que ele não sabe nadar. Daí é só entupir-se com esse sorvete, sem correr risco de sentir culpa nenhuma. (A Coca-Cola acompanha o sorvete…)

Publicado em nadas, receitas | Marcado com , | 19 Comentários