Arquivo da categoria: nadas

Trifeta* combinada**

Sábado almocei um pintado na brasa nesse lugar da foto ao lado. Nenhuma maravilha, nada que me faça salivar quando lembro, nem que me dê vontade de voltar a esse lugar(-)comum em Copacabana, de clientes, na maioria homens, com idade … Continuar lendo

Publicado em (re)flexões, murmúrios, nadas | 2 Comentários

Historietas para boi dormir

Era um puta mala, inconveniente como poucos. Adorava sacanear todo mundo, com a garantia de que não perdoaria nem a mãe, se o cretino tivesse uma. Fazia isso nas festas, nas reuniões de família, de trabalho. Até num enterro ele … Continuar lendo

Publicado em conversê, nadas, política, sociedade | 4 Comentários

“[O] milagre da vida enquanto à beira da pia”**

Ia bem. Detergente na esponja, esponja num copo, em dois, numa panela, em mais uma, nos talheres, nos pratos… pronto: enxaguá-los, colocar um a um no escorredor de pratos, secar a pia e perceber que nunca estivera tão focado naquela … Continuar lendo

Publicado em nadas | Marcado com , , | 3 Comentários

Sexta-feira, 30 de março de 2012

Sim, é fato que morreram figuras célebres na semana passada. Verdade, não dá para ficarmos quietos quando um bando de viúvas da ditadura querem comemorar 31 de março de 64 como se tivessem salvado o país e não feito um … Continuar lendo

Publicado em nadas | 4 Comentários

O mundo e o umbigo

É o melhor do mundo… É o melhor da América Latina… É o melhor do Brasil… É o melhor do estado… É o melhor da cidade… É melhor do bairro… Bom, das três lojinhas da rua que eu costumo frequentar, … Continuar lendo

Publicado em nadas | Marcado com | 7 Comentários

Já disseram tudo sobre Belo Monte? Posso mostrar só uma coisinha que vi por aí?

XINGÚ (sic) VIVO. ACORDE O ÍNDIO DENTRO DE VOCÊ RESPEITE NOSSA  CULTURA BELO MONTE NEVER O bom destes tempos globalizados é o cada vez mais frequente congraçamento dos povos, inclusive povos indígenas. Por isso mesmo, sejam bem-vindos ao calçadão de … Continuar lendo

Publicado em nadas | Marcado com , | 2 Comentários

Sabedoria impopular

Na mesa ao lado, quatro moças e um rapaz num animado burburinho pós-natalino, até que do zum-zum despontou uma fala inteligível para no mínimo quatro mesas ao redor. “Porque se meu marido me trair, que seja por uma que ele … Continuar lendo

Publicado em nadas | Marcado com , | 8 Comentários