Arquivo da categoria: cotidiano

(Mais) conversas roubadas

Um casal tomando café-da-manhã no Parque Lage, bairro do Jardim Botânico (RJ). Ela lê uma matéria que trata da violência contra a mulher, sobretudo no âmbito do casamento. [Ela, indignada] Amor, olha que absurdo: diz aqui que, em média, a … Continuar lendo

Publicado em amor (e/ou desamor), cotidiano | Marcado com , , | 6 Comentários

Contradições

Acabei de ouvir, a dez metros de mim, no balcão de uma farmácia, uma moça gritar: “Vai tomar no c*, seu mal-educado!” Curioso, outro dia mesmo pensava numa vizinha que, sempre aos berros, vive mandando a filha falar baixo com … Continuar lendo

Publicado em (re)flexões, cotidiano | Marcado com , | 8 Comentários

Bons-modos mal-educados

— Operadora Francilene Gomes, bom dia. Informe seu nome e o número do seu celular com o DDD, por favor. — Ricardo C., vinte e um, número-número-número-número, número-número-número-número. — Para sua segurança, precisamos confirmar alguns dados. Diga o seu nome … Continuar lendo

Publicado em cotidiano, murmúrios | Marcado com , , | 6 Comentários

Ecumenismo carioca, expressão redundante (ainda!)

Ingredientes: – Um flanelinha; – Um guardador de carros uniformizado; – Um taxista com o seu carro (irregularmente) parado, de portas abertas, numa esquina do Leblon (mas podia ser em qualquer esquina); – Uma noite de outono, temperatura amena. “Preparo”: … Continuar lendo

Publicado em cotidiano, receitas | Marcado com , | 2 Comentários

Somos todos japoneses

Não, não soube de nenhum novo 11 de setembro em Nagasaki, bomba no metrô londrino de Tóquio ou nos trens madrilenhos de Osaka que inspirasse em mim esse título. Não se trata, hoje, de qualquer sentimento solidário por alguma vítima … Continuar lendo

Publicado em (re)flexões, cotidiano, sociedade | Marcado com , , | 20 Comentários

Um quê de incorreção política

Desprovido da minha câmera, não pude registrar. Terão que confiar quando digo que vi o texto que segue, num dos adesivos colados ao Land Rover estacionado na praça do Bairro Peixoto, em Copacabana: Não compro bala porque sou diabético. Não … Continuar lendo

Publicado em acidez, cotidiano | Marcado com , , | 6 Comentários

Moucos

— Entre o que eu quero dizer e o que eu consigo pôr em palavras, um abismo. — Sei… — E entre o que eu consigo pôr em palavras e o que você compreende, outro abismo. — Hum hum… — … Continuar lendo

Publicado em cotidiano, um certo Beckett... | Marcado com , , | 1 Comentário