Arquivo do autor:dazibaonomeio

E se lá eu estivesse?

…eu lembro de você lá, cuidando de tudo naquele apartamento enorme, te vendo vestir o corpo do seu avô. Talvez você não tenha essa imagem, tão ocupado em ser prático. Mas eu te vi tão só, uma solidão imensa, e … Continuar lendo

Publicado em murmúrios | Deixe um comentário

Agradeço muito.

Eu torço, mas torço muito por uma virada e que no dia 28 de outubro o Haddad consiga tornar-se presidente, certo de que os meus motivos até que são fáceis de entender. Porque votar a favor da continuação da nossa … Continuar lendo

Publicado em Ainda pagãos | Deixe um comentário

Não tá morto quem peleia

Tem aquela história do primo do irmão de um colega de escola, lá com seus dezoito anos, que depois de deixar uma amiga em casa ouviu do amigo e vizinho, sentado no banco do carona: “Imagina a gente voltar pra … Continuar lendo

Publicado em conversê, histórias, política | 2 Comentários

Ambos pela manhã.

Considerando a incômoda presença de um ou dois sintomas achei por bem dar crédito a um ou dois especialistas e com suas prescrições em punho passei em uma ou duas das redes mais conhecidas e encontrei uma ou duas frases … Continuar lendo

Publicado em Ainda pagãos | 11 Comentários

O que não é o que não pode ser que não é.

O carro que não tranca, que dormiu na rua e que não é meu. A carteira com documentos, cartões e dinheiro esquecida dentro dele. O desespero quando de manhã cedo me dei conta disso que está escrito na frase anterior. … Continuar lendo

Publicado em conversê, mínimos, nadas, tolices | 5 Comentários

Duas ou três das mil e uma noites

Três doses de whisky vagabundo. E numa tristeza da porra. Sim, o fato dela estar sozinha no hospital neste instante, ela que quase morreu, ela com quem vivo há vinte anos enquanto eles, esses burocratas, esses escrotos mal saídos dos … Continuar lendo

Publicado em Ainda pagãos | Deixe um comentário

Tendências

Há o discurso dedo na cara, cenho franzido, que moraliza de maneira fulanizada e persecutória, buscando que o seu objeto admita, assuma e peça perdão, compungido, embora nunca vá ser de fato perdoado. Há o discurso escrachado, de humor duvidoso, … Continuar lendo

Publicado em (re)flexões, política | 3 Comentários