O que deixou de ser

Privado. Íntimo. Que só confessor, seja padre, pastor, rabino, xamã, terapeuta ou querido diário tem acesso. Nem amigo sabe. Tem ideia do que seja? Já ouviu falar? Leu nos livros ou alguém te contou que algo assim já existiu num breve momento da história da humanidade?

E você, que não só sabe bem o que é como trabalhou com afinco para desmontar muitos podres, fantasmas, monstros e armadilhas que lá se escondiam (ou que você mesmo escondeu)? Já imaginou, depois de tanto esforço e elaboração sobre o que ali habitava, o quanto de refúgio que também encontrava por lá, na penumbra de um daqueles quartos? Suspeitava da falta que um dia poderia sentir dali?

Esse post foi publicado em (re)flexões, mínimos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.