Ruminações (1)

Penso, logo sou, disse um.

Sou onde não penso, penso onde não sou, retrucou outro.

Um terceiro veio com a conversa de que sou o que faço.

E veio mais um para embolar tudo, dizendo que aquilo que faço — isto é, a minha atividadee que, por conseguinte, me faz, inclui também tudo o que não faço, o que me é impedido de fazer (pelo outro), e mesmo o que me é impossível (mas que ainda assim não deixa de me “povoar”)…

Preciso aumentar a medicação, depressa.

.

[Post bem velhinho, de três anos atrás. Uma peça de museu, não?]

Anúncios
Esse post foi publicado em nadas. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Ruminações (1)

  1. Pingback: Ricardo C.

  2. Vanessa disse:

    Identifiquei um Descartes, um Sartre…
    Mas pro final a coisa ficou meio deleuzeana demais

    Curtir

  3. Gwyn disse:

    Sou cada momento vivido, e o nao vivido nesses momentos…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s