9 respostas para A falta que ele me faz [2]

  1. Monsores disse:

    Nossa, um diálogo entre dois RC’s. Fantástico.
    Agora vou voltar pro primeiro post e ler tudo outra vez.

    Dois abraços, Ricardo.

    Curtir

    • Ricardo C. disse:

      Só de vc dar as caras por aqui já valeu o post, Monsores. Tempão que não papeamos, né?
      Abração

      Curtir

      • Monsores disse:

        Ricardo, meu caro. Eu venho sempre aqui. Não perco um post sequer.

        Adoro os desse tipo, especialmente. Esses que me fazem parar, ler, ler de novo, pensar, parar, ler, pensar. É tão fácil aprender com você.

        Mas sinto falta de duas outras coisas:

        1. Posts sobre indicações de livros. Já li, acho, todos que você indicou. Preciso de mais.

        2. Posts como um-que-não-lembro-o-nome, mas é aquele da mulher que foi trocada no primeiro encontro e que tinha um nome dificil, lembra?

        Não é cobrança, é feedback de leitor e fã.

        Abraço, meu caro. Espero que estejas bem. Vou ficar acompanhando quietinho tua dança com o Catatau. Poucas leituras são tão interessantes.

        Curtir

  2. Catatau disse:

    Muito bom!

    “Não é humana a vida que decorre em função da mera satisfação de necessidades, desprovida das condições que possibilitam aos homens criar alguma forma do novo, escreve Hanna Arendt.”

    Como se não fosse também humana a vida que tem as satisfações garantidas, mas não realiza a outra parte, “criar alguma forma do novo”.

    São duas formas de vida reduzidas ao biológico, a do ressentido e a “nua” (acima): esta, pelas necessidades carentes; aquela, pelas projeções egoistas. Daí a Arendt colocar tão bem o papel do “novo”, emergindo na criação e na verdadeira intersubjetividade 😉

    Curtir

    • Ricardo C. disse:

      Você tocou em pontos importantíssimos, Catatau, não por acaso refletidos pela Hanna Arendt, e que aparecem nas obras de tantos e tão bons pensadores. Alías, tb não por acaso lembrei daquelas conversas sobre o declínio do homem público e a valorização contemporânea da ideologia da intimidade (Sennett, Ortega), parte do que vc costuma discutir com muita propriedade, diga-se de passagem! Ainda vou acrescentar um (ou talvez mais de um) post para arredondar essas questões, embora no fundo sejam parte do que vivo discutindo e repetindo por aqui, não importa com que roupagem.

      Curtir

  3. Biajoni disse:

    ricardão, quero contato. manda um mail.
    biajoni@gmail.com
    :>)

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s