Três anos

— Diana, minha filha, assim não dá! Quantas vezes vou ter que repetir?!?!

— Sete!

Anúncios
Esse post foi publicado em nadas e marcado . Guardar link permanente.

4 respostas para Três anos

  1. Luiz disse:

    Troque Diana por Julia, e 3 por 4 anos, e é daí para pior…

    A precocidade da capacidade argumentativa delas é estonteante…

    Curtir

  2. Anrafel disse:

    Existe uma tese (Margaret Mead?) de que as meninas são melhores em gramática e argumentam melhor do que os meninos.

    Cá em casa, a tese é confirmada. Tenho um filho e uma filha. Estudaram no mesmo colégio (ela ainda estuda), frequentaram os mesmos lugares quando crianças, demos as mesmas coisas para lerem e assistirem, mas eu percebo essa diferença. Ainda cedo, Cândida não perdia um plural.

    Seus bilhetes pedindo isso ou aquilo eram melhores do que os de Simón
    (estabeleci uma regra: se houvesse erros de português nos bilhetes a reivindicação não seria atendida), que eram bem feitos, mas inferiores.

    Cabotinismo? É claro, também.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s