Você sabe dizer…

O que te levou (ou ainda leva), em um dado momento da vida (ou em muitos momentos, se for o caso), a desejar ardentemente ter um filho?

P.S.1. Nem pense na “perpetuação da espécie”, porque o mundo já anda botando gente pelo ladrão.
P.S.2. Tire o cavalinho da chuva e livre-se logo dessa irresistível vontade de me devolver a pergunta.

Esse post foi publicado em Ainda pagãos e marcado . Guardar link permanente.

18 respostas para Você sabe dizer…

  1. Nat disse:

    Eu sempre quis ter filhos, por mim eu já tinha começado, pois queria ter uns 4. No quesito quantidade, acho que é porque eu tenho um instinto maternal bem grande. Eu gosto de cuidar, de ensinar, de brincar, de educar. Mas, sendo sincera ao extremo, acho que o que me leva a querer ter um filho é, em parte, um preenchimento de um vazio (mudança) e o desejo de poder formar uma cabeça, que seja pensante, educada, justa, amiga… (controle)

    Curtir

  2. meandros disse:

    Lembrei do batido “um amor muito grande para caber em apenas dois”. Mas de repente pode até ser verdade.

    Curtir

  3. confetti e a ilusao* disse:

    sei dizer o que me levou a nao ter filhos 😮 fato de trabalhar e nao ter tempo de criar, de nao admitir deixar a criança com alguém pela manha e so reve-lo à noite, como faz a maioria das maes…-o medo de nao saber educar e proteger-nao querer renunciar a minha vida de mulher pra viver em funçao do filho durantes anos ( eu disse “mulher” e nao “mae”…)egoiste, dites vous…))

    Curtir

  4. Pax disse:

    Perpetuação da espécie não, mas perpetuação de você talvez. O medo da morte trás um monte de coisas para a nossa psique.Mas, Ricardo Cabral, o que te leva ao desejo de ter um filho?

    Curtir

  5. Ricardo C. disse:

    Francamente, não esperava que ninguém bancasse de responder a pergunta, e ainda por cima com comentários tão pessoais e bacanas, incluindo o comentário do Pax, apesar dele não ter dado a menor bola para o meu segundo “pê ésse” e insistir em sondar as minhas razões, tsc tsc.Mas não adianta, independente do que ainda possam escrever por aqui, não vou escolher esta ou aquela resposta como a que me agrada mais. E dou alguns motivos:1) não sou besta, nem pensar em perder pontos com os preteridos (risos!); e, mais sério,2) Porque sejam motivos egoístas, altruístas, pressão/conformidade social, gritos uterinos, gritos penianos, são todos humanos, e dificilmente alguém teve, tem ou terá apenas um deles, ou mesmo só um grupo de motivos que sejam afins. Somos plurais, contraditórios, nossa autoestima varia, nossos desejos variam, nossas opiniões, planos etc. não são imunes ao tempo, e tampouco às relações em que estamos engajados, ao momento profissional que vivemos… As variáveis são tantas que seria não só tolo como também injusto eleger uma única alternativa como A mais correta, íntegra, digna, não é?

    Curtir

  6. Gelsa Mara disse:

    Tenho vontade de ter filhos, creio que o que me leva a isto é o desejo de partilhar o amor que sinto pelo futuro pai dos meus filhos. nEste caso, partilhar é multiplicar.

    Curtir

  7. Gelsa Mara disse:

    Na verdade eu quis dizer o pai dos meus futuros filhos…

    Curtir

  8. Guilevy disse:

    Ricardo, seu P.S.1. não vale, desejar não é realizar.Fico com o Pax, “perpetuação de você”, ou da espécie, porque de onde pensas que vem “instinto maternal”, “um amor muito grande para caber em apenas dois”, “nao admitir deixar a criança”, “educar e proteger”…”As variáveis são tantas…”, mas o tolo aqui tem um “gene egoísta”.

    Curtir

  9. pingwyn disse:

    interessante que todos (quase?) que escreveram nao tenham filhos.Concordo com o Pax…filhos e a nossa perpetuacao, da nossa historia.Um dos motivos que eu quis ter filhos foi pelas experiencias, ensinamentos, aprendizados que eles nos fazem viver. Nao tem um dia que eu nao me surpreenda do quanto aprendo com eles. Do quanto eles conseguem mostrar “approaches” diferentes da vida. E nao basta ter um…tenho dois e cada um mostra situacoes e coisas totalmente diferentes.Quisera eu ter a coragem($$$$$) de ter mais uns 5…

    Curtir

  10. pingwyn disse:

    e o mais importante….poder olhar para eles e constatar que sao pessoas seguras, confiantes, bem estruturadas e muito, muito felizes..Poucas sao as situacoes que nos de tanto orgulho, alegria e prazer…!!Minha melhor contribuicao para o mundo.

    Curtir

  11. Nat disse:

    Eu pensei em complementar minha resposta logo assim que postei. Iria dizer a mesma coisa que o Pax. O medo da morte. Acho que ele fica mais leve quando se pensa que a única coisa que dá pra fazer é viver bem e deixar bons exemplos pra que as pessoas lembrem de você por um bom tempo!!! Você morre, mas a lembrança fica nos filhos, netos, bisnetos, etc… A perpetuação de você é um motivo muito forte, como disse o guilevy

    Curtir

  12. Monsores, André disse:

    Eu não quero ter filhos porque:1. Não acredito no mundo que eles irão nascer;2. Não acredito muito no pai que eles iriam ter;3. Tenho medo de como eles podem nascer;4. A pretensa mãe também não quer;5. Iria dar briga pra escolher o nome. Não aceito nada americanizado tipo Uarchington Jaquison Vandernisson;6. Porque ainda tenho intenção de parar de trabalhar aos 30 e aproveitar o resto de vida viajando;7. Porque eles choram alto;8. Porque apesar de serem fofinhos, bonitinhos, cheirosinhos e todos os inhos, eles crescem;9. Porque há determinadas pessoas que não devem ser perpetuadas;10. Porque eu quis completar “10 razões…”.

    Curtir

  13. confetti e a ilusao* disse:

    monsa :-))))

    Curtir

  14. DarwinistO disse:

    Pois eu, assim como o Monsa, nunca tive essa vontade irresistível.Ao contrário. Quando minha ex teve uma suspeita de gravidez, de um lado da linha minha velha chorava de felicidade. Do outro, eu chorava de desespero…

    Curtir

  15. Ricardo C. disse:

    Darw, não duvido. Mas tire o irresistível e troque a vontade por uma reflexão sobre o tema, avalie sentimentos contraditórios sobre ele, além de mais alguns anos de vida e estou certo que, no mínimo, você não dirá que sempre pensou/sentiu a mesma coisa sobre o assunto…

    Curtir

  16. Olga disse:

    Se alguém realmente der uma resposta definitiva e coerente, certamente, esta pessoa não teve filhos. Não há explicação lógica. Custam caro, provocam milhares de decepções, sensação de fracasso. Mas é igual se apaixonar. Logicamente, ninguém deveria se apaixonar, porque aquilo vai realmente acabar um dia, transformando-se em algo bom ou em um nada péssimo.Filhos tornam tudo na vida relativo. E nos eternizam, de alguma maneira. A melhor resposta está no poema enjoadinho do Vinícius.

    Curtir

  17. Ricardo C. disse:

    Investimento a fundo perdido, foi o que já ouvi, e já vi contas assustadoras em Dólar… Tremendo corta-tezão, mas que parece não demover a humanidade de parir, né?Adorei a sua resposta, Olga!

    Curtir

  18. eugostodeumacoisaerrada disse:

    Faz algum tempo que minha decisão sobre filhos é de não tê-los. Obviamente tenho mto tempo até que a minha idade fértil termine, então posso mudar de idéia. E sempre se pode adotar, em qualquer idade. Os poucos momentos em que me flagro revendo a opinião dos últimos anos é qdo penso que gostaria de ter um destinatário perpétuo da minha afeição. E para isso, nada melhor que um filho. Além disso, imagino se no futuro ainda mais distante não iria me arrepender amargamente de não tê-los. E talvez esse seja imensamente maior que o arrependimento de tê-los. Mas essas idéias passam rápido, rápido. obs: adoro essas suas perguntas.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.