Histórias de amigos de amigos

André careca (o “André” não sei de onde veio), tricolor doente — no Rio quer dizer ser Fluminense —, perdeu os dentes da frente num de seus inúmeros acidentes de carro (se contados vira epopéia).

A ponte que lhe fizeram engana bem, quatro incisivos bem posicionados. Pena que ela resolveu cair logo num domingo de Fluminense e Vasco, 16:00, Maracanã. Quase hora do jogo, não titubeou: calçou as havaianas (quando ainda não eram “fashion”), colocou a ponte dentro da pochete (que continua não sendo “fashion”) e rumou para o glorioso. E em meio à imensa (à época) torcida pó-de-arroz, partida já em andamento, a sorte lhe sorriu escancarada: ao seu lado, nada menos que o seu dentista. Aos gestos, em meio à balbúrdia, contou-lhe o ocorrido, abriu a pochete, mostrou-lhe a ponte e… gol! Gooooooool, éeeee… doooo Flumineeense!

Nunca mais teve mais notícias da ponte.

(Soube da história minutos após o jogo, contada pelo próprio, que ao falar por telefone com um amigo, identificou-se dizendo: “faudafõef tricoloref“)

Anúncios
Esse post foi publicado em memórias e marcado , . Guardar link permanente.

2 respostas para Histórias de amigos de amigos

  1. Alba disse:

    Rindo muito! Pobre homem…

    Curtir

  2. Ricardo C. disse:

    Ele é mesmo uma peça, Alba, o próprio azarado!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s